EM SURDINA

 

 

PENÉLOPE - Ainda na Pinacoteca do Estado (SP), uma exposição consagrada a Vera Martins reúne seus objetos feitos de tecidos, antes desfiados que fiados. Eles se enrolam, se fazem e se desfazem. Estiram-se , animados, em tramas largas, deixando visíveis os fios ; escorrem em abandono; aconchegam-se em corolas; determinam transparências, orifícios ou obstruções. Paira uma calma feminina em tudo isso, um acabamento cuidadoso, em que o trabalho apaga seus próprios traços. E onde, também, se incorpora algo de ritual, de solene, de sagrado, escondendo segredos e presságios.

 

 

 

Folha de São Paulo - MAIS! , Coluna - Ponto de Fuga , Página 19.

 

 

 

Jorge Coli | 2002